20 de jun de 2011

COMER DOCES TAMBÉM É NECESSIDADE FÍSICA

08/06/2011 10h33 - Atualizado em 09/06/2011 15h17
Vontade por doces não é só tentação, mas necessidade física, diz médico

Bem Estar desta quarta-feira (8) convidou o ginecologista José Bento.
Preparador José Rubens D'Elia passou exercícios para queimar calorias.


Do G1, em São Paulo

A vontade de comer doces não é apenas uma tenta

A vontade de comer doces não é apenas uma tentação: tem uma explicação fisiológica. O açúcar é o alimento dos neurônios, as células cerebrais. E, para se manter vivo, o corpo humano precisa dessa substância.

Após 5 minutos sem glicose, uma pessoa morre. E a fraqueza pode ser um sinal de alerta. Para explicar que o desejo por doces é mais do que gula, mas uma necessidade, o Bem Estar desta quarta-feira (8) convidou o ginecologista José Bento.

Segundo o médico, 60% da dieta deve ser composta por carboidratos, que podem ser sob a forma de frutas, doces ou pães e massas. A cada década, o metabolismo de cada indivíduo cai cerca de 5%, o que faz com que haja ganho de peso. Por isso, no estúdio, o preparador físico e consultor José Rubens D'Elia passou uma série de exercícios para queimar as calorias adquiridas.
.
Glicose (Foto: Arte/G1)
A atividade física melhora o condicionamento das células preguiçosas e acelera a absorção do açúcar. Além disso, quanto menos doce comemos, menos ficamos viciados. Para mudar esse hábito, porém, pode-se levar até três meses. Para se ter uma ideia, uma colher de chá tem quase 100 calorias.
Muitas vezes, a glicose dá uma sensação de prazer e felicidade, além de funcionar como uma defesa contra o estresse. Isso ocorre porque ela mexe com neurotransmissores, como a dopamina e a serotonina, ligados a esses sentimentos. Tanto o açúcar dos doces quanto o dos carboidratos (como massas, pães e biscoitos) tem esse efeito – a diferença é que o primeiro chega à corrente sanguínea muito mais rápido.
Depois do almoço ou jantar, a vontade de comer doces cresce porque os alimentos mais pesados demoram a ser processados, e o corpo continua com fome. A lembrança ou a visualização de algo gostoso aumenta ainda mais esse desejo. Uma dica é ingerir uma fruta pouco antes das refeições.
Quando caem no sangue, os doces produzem um pico de insulina. E logo vem aquela sensação de energia, mas em pouco tempo a fome volta. Nessa hora, se a pessoa não tomar cuidado, pega mais um bombom ou algo do gênero. E é assim que o pâncreas se acostuma a produzir altos níveis de insulina.
A resistência a esse hormônio, no caso de obesos e diabéticos, eleva a vontade por doces porque as células não recebem glicose, que fica retida no sangue, e portanto continuam "famintas". Além disso, no frio, o corpo produz mais calor e gasta mais energia, motivo pelo qual o apetite por doces e gorduras sobe.
Pensando Leve

Pensando Leve
A manicure Alexandra Silvério, de 35 anos, continua no desafio de perder peso e mudar de hábitos. Ela conta com sua força de vontade e a ajuda de um médico incentivador, o nutrólogo Eric Slywitch.

Alexandra tem 1,65 m e está pesando 135 quilos: já perdeu cinco. Mas ainda faltam outros 67 para chegar ao patamar ideal. Os exames dela apontam falta de vitamina B12, importante para os neurônios. A taxa de ácido fólico também está baixa, o que pode prejudicar a formação de células novas. Outro risco que a manicure corre é pelo excesso de plaquetas no sangue, que podem entupir os vasos e causar uma trombose.

Aos poucos, Alexandra começa a comer arroz integral, folhas verdes cruas e legumes refogados. Em decorrência de pedras na vesícula, o médico recomenda que a paciente acrescente um pouco mais de gordura boa à alimentação, como a do azeite de oliva, um óleo vegetal.

Quando a vontade por doces bate, a manicure faz uma gelatina ou pudim diet de caixinha. Mas o nutrólogo recomenda produtos mais naturais e frutas. Cinco porções por dia são o ideal para reacostumar o corpo a um açúcar saudável. No blog Pensando Leve, Alexandra conta como resistiu a um bolo floresta negra.

Para enganar a fome por doces, o nutrólogo Eric Slywitch sugere duas receitas gostosas e menos calóricas:

Calda de ameixa com passas
 Ingredientes
4 ameixas pretas desidratadas sem caroço (30 gramas)
3 colheres de sopa de uva passa
1 colher de sopa de fécula de batata
2 bananas
Água
Modo de preparo
Coloque, em uma xícara de 200 ml, as ameixas pretas lavadas e a uva passa. Adicionar água até encher a xícara. Deixe de molho da noite para o dia, para hidratar as frutas secas. Ponha todo esse conteúdo no liquidificador e adicione 1 colher de sopa de fécula de batata. Bata bastante.
Coloque essa mistura em uma panela e leve ao fogo. Ao começar a ferver, reduza a chama do fogo ao mínimo e deixe cozinhar por 10 a 15 minutos, sempre mexendo com uma colher de pau.
Descasque as bananas, corte-as em rodelas, e leve-as ao forno por 15 a 20 minutos. Após retirar as frutas, coloque a calda por cima.
Serve 2 pessoas e também pode ser consumida com frutas secas.
Calorias totais: 372 kcal ou 186 kcal por pessoa.
Calda de cacau com açúcar mascavo
Ingredientes
1 colher de sopa de cacau em pó (puro)
2 colheres de sopa de açúcar mascavo
1/2 xícara de água (ou chá de erva cidreira ou erva doce)
1 banana
Modo de preparo
Leve todos os ingredientes ao fogo, em uma panela pequena. Cozinhe até virar uma cada (poucos minutos). Descasque a banana, corte-a em rodelas, e leve-a ao forno por 15 a 20 minutos. Após retirar a banana, coloque a calda por cima.
Serve 1 pessoa e também pode ser consumida com frutas secas.
Calorias totais: 186 kcal.
Caso a vontade não passe, saiba qual o valor calórico de cada doce:*
1 trufa: 89 kcal
1 maria mole pequena: 165 kcal
1 brigadeiro: 96 kcal
1 cajuzinho: 102 kcal
1 quindim (80 g): 314 kcal
1 pé de moleque (20 g): 46 kcal
1 sonho (85 g): 573 kcal
1 porção de arroz doce (100 g): 164 kcal
1 porção de canjica (200g): 226 kcal
1 banana passa: 15 kcal
1 bomba de chocolate: 187 kcal
1 colher de sopa de cobertura de chocolate:128 kcal
1 fatia de doce de leite (50 g): 158 kcal
1 taça de musse de chocolate (150 g): 333 kcal
1 paçoca (30 g): 114 kcal
1 pamonha: 135 kcal
1 rapadura (50 g): 84 kcal
1 suspiro pequeno (10g): 37 kcal
* Fonte: Universidade Estadual Paulista (Unesp)

O USO DO PRESERVATIVO

20/06/2011 10h42 - Atualizado em 20/06/2011 12h27
Camisinha é o único modo de evitar Aids e outras DST's

Bem Estar desta segunda (20) convidou a educadora Marta McBritton.
Infectologista Caio Rosenthal também falou sobre transmissão de doenças.


Do G1, em São Paulo

A Aids é uma doença sexualmente transmissível (
DST) que compromete o sistema imunológico do corpo humano. A melhor prevenção é o uso da camisinha, que é muito simples e bem difundido, mas, na prática, nem todo mundo usa. Em quatro das cinco regiões brasileiras, a doença mostra tendência de aumento.
A repórter Marina Araújo foi a uma universidade conferir se os jovens têm camisinha nas bolsas e mochilas, e a maioria não tem. Alguns admitiram, inclusive, que não usam porque têm parceiros fixos, mas que não fizeram exames antes de abrir mão do preservativo.
No estúdio do Bem Estar desta segunda-feira (20), o infectologista Caio Rosenthal e a educadora Marta McBritton falaram sobre a importância do uso dos preservativos para evitar as DST’s.
arte aids (Foto: arte / G1)
A transmissão dos vírus dos tipos B e C da hepatite é mais comum que a do HIV, vírus causador da Aids. O Ministério da Saúde estima que cerca de 3 milhões de brasileiros tenham esses vírus, embora apenas 11 mil estejam em tratamento. A doença pode provocar câncer no fígado e levar à morte.
Outra DST que, sem tratamento pode até levar à

Outra DST que, sem tratamento pode até levar à morte é a sífilis. A estimativa oficial é de que 937 mil pessoas contraiam essa doença por ano, no Brasil. Os primeiros sintomas são feridas na genitália e na virília. Essas feridas, chamadas de cancro duro, não doem e surgem entre duas e três semanas depois da transmissão.
Já a gonorreia, que também é sexualmente transmissível, provoca um corrimento amarelado, que mancha a calcinha ou a cueca. Ela se manifesta entre e sete e dez dias depois do ato e é facilmente curável.
Os preservativos são distribuídos gratuitamente nos postos de saúde. A única alternativa à camisinha tradicional é a camisinha feminina. Menos conhecida, ela é colocada dentro da vagina. Lubrificantes sexuais também são distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Se você quer ter certeza de que não está contaminado, o exame de HIV é muito rápido. Uma amostra de sangue é retirada e o resultado sai em vinte ou trinta minutos. Com o mesmo sangue, dá para fazer os testes para sífilis e hepatite, que ficam prontos em 15 dias. O resultado é sigiloso, só o paciente fica sabendo.
FONTE:http://glo.bo/llqP0M

SÍNDROME DO PÂNICO

      QUER SABER MAIS ACESSE: http://glo.bo/jmbUL3

Noticias do Cérebro

Notícias do Cérebro

TDAH no Brasil, o que a Folha de SP não mostrou

Dom, 22 de Maio de 2011 16:33 MARCO ANTÔNIO ARRUDA
Imprimir PDF
folhasp2011cabecO Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é o transtorno neuropsiquiátrico mais frequente da infância e se caracteriza por sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade (1). Esse transtorno neurobiológico, uma das condições médicas mais estudadas na infância, provoca um expressivo impacto (prejuízo) na vida do portador, de sua família e da sociedade o que o torna um problema maior de Saúde pública em todo o mundo (3).
Última atualização em Dom, 22 de Maio de 2011 19:04 
 fonte: site: www.aprendercriança.com.br