27 de ago de 2011

Atividade física, relaxamento e novo estilo de vida tratam dor de cabeça

Atividade física, relaxamento e novo estilo de vida tratam dor de cabeça


Depois do Bem Estar desta segunda -feira (22), o
Depois do Bem Estar desta segunda -feira (22), o neurologista Marcelo Calderaro falou sobre predisposição genética à enxaqueca, o que pode começar já na infância ou na adolescência. Indivíduos com maior propensão – algo mais comum em mulheres – podem ter crises com fatores desencadeadores como hormônios, tensão, alimentos ou jejum prolongado.

Na menopausa e durante a gravidez, a enxaqueca tende a diminuir, mas o contrário também pode acontecer.
Problemas de estômago (como úlcera, gastrite e refluxo), fígado, coluna ou visão costumam ser inocentes como motivadores de dor de cabeça.
A localização da dor ajuda no diagnóstico, mas isoladamente não tem tanto valor, disse o médico. O vômito pode fazer parte do quadro clínico da enxaqueca, mas não deve ser estimulado, porque é capaz de causar outros problemas.
Dores de cabeça súbitas são um sinal de alarme e devem ser investigadas por um profissional. Se houver outros sintomas, como alteração de consciência, paralisia ou dificuldade para falar, o alerta é ainda maior.
Alimentos muito gordurosos, salsicha e comida chinesa podem eventualmente provocar crises de dor de cabeça em pessoas predispostas, mas não precisam ser retirados da dieta, na opinião de Calderaro.
O neurologista destacou, ainda, o "boom" de estudos científicos sobre vitamina D, que a relaciona com a prevenção de inúmeras doenças – de Alzheimer a problemas cardiovasculares.
Bonés, tiaras e capacetes podem ser causas pontuais de dor de cabeça, mas apenas durante o uso. Cefaleia tensional é o principal motivo do problema na população e, ao contrário da enxaqueca, não é latejante nem incapacita para as atividades, é difusa (não se localiza em uma região específica) e não piora com exercícios físicos.
Técnicas de relaxamento, atividade física e orientações de estilo de vida são cuidados que podem ser recomendados pelo médico na prevenção e no tratamento da dor de cabeça. Tomar mais de três analgésicos por mês já demanda visita a um profissional para evitar a cronificação do problema e um possível vício.
Na sequência, a dentista Daniela Gonçalves falou
Na sequência, a dentista Daniela Gonçalves falou sobre alterações na dentição, siso e saúde bucal como causas ou não de dor de cabeça.

A dor da disfunção da articulação temporomadibular (ATM) pode ser contínua, não apenas na hora da fala ou da mastigação.
O tratamento pode incluir o uso de uma placa rígida (a mesma usada contra o bruxismo) e exercícios.

 Fonte:http://glo.bo/mWbtIV

Nenhum comentário:

Postar um comentário