11 de jan de 2011

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR NA AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO DO DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR DE CRIANÇAS DISLÉXICAS

http://www.psiquiatriainfantil.com.br/congressos/uel2007/324.htm
Imprimir

________________________________________

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 – ISBN 978-85-99643-11-2

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR NA AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO DO DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR DE CRIANÇAS DISLÉXICAS
Cicera Aparecida Lima Malheiro
Edelvira de Castro Quintanilha Mastroianni
Claudia Raquel Trigo Mancila
Ninfa de Lima Bento Beneti
Tatiane Gomes de Assunção,
FCT/UNESP – Presidente Prudente


RESUMO

Pesquisas estrangeiras apontam estatisticamente que 10% da população em idade escolar é disléxicas e apesar de não termos dados estatísticos consistentes no Brasil, calcula-se que a porcentagem de disléxicos esteja nesse mesmo patamar, com a agravante de o número de analfabeto, 14% declarados, ser muito grande, no qual, provavelmente, desses analfabetos, deve haver um número considerável de Disléxicos. Esse fato torna-se relevante demonstrando assim a importância de um estudo multidisciplinar na área e apontando as determinações interdisciplinares na intervenção. Na inter-relação da dislexia com o desenvolvimento psicomotor encontram-se muitas áreas disfuncionais do que anteriormente se pensou, onde ressaltam, pela sua obviedade, áreas de integração sensorial/visual e auditiva e áreas de integração psicomotoras (área parieto-occiptal e área suplementar motora). Os conceitos neuropsicomotores tornam-se relevantes nas entrevistas realizadsa com os pais, apesar deles, terem dificuldades em recordar com exatidão quando ocorreram determinados marcos do desenvolvimento da criança. Sendo assim, as características descritas dos disléxicos raramente se apresentam isoladamente. Frequentemente acompanham de outras perturbações que alteram a aprendizagem. Partindo de uma visão multidisciplinar o qual aborda diferentes justificativas nas avaliações desse distúrbio, procuramos analisar a relação da dislexia com o perfil psicomotor tento em vista a importância da compreensão da ação motora em relação à linguagem como também o inverso. No LAR-Laboratório de Atividades Lúdico-Recreativas da FCT/UNESP, das 98 crianças com necessidades educacionais e especiais que apresentam déficits psicomotores, 13 crianças possuem dislexia, estando na faixa etária de 7 a 12 anos. Elas são diagnosticadas por psicólogos, através de instrumentos específicos os quais classificam a dislexia em evolução ou especifica e encaminham para o LAR. Posteriormente o Perfil Psicomotor da criança é avaliado através do protocolo EDM – Escala de Desenvolvimento Motor (Rosa Neto, 2002).É encaminhado um questionário a professora da criança a fim de obter-se maiores informações sobre o nível de aprendizado, relações sociais em que a mesma apresenta e na seqüência é realizada uma entrevista com os pais, enfocando a obtenção de dados sobre os marcos de desenvolvimento. As atividades lúdicas propostas pelos profissionais e estagiários posteriormente a essa avaliação, possibilitam estratégias de desenvolvimento para que as crianças disléxicas aprendam e se desenvolvam dentro de suas necessidades motoras, cognitivas, sociais, afetivas e pedagógicas. As atividades são pensadas de maneira que atendam primeiro ao déficit motor, com intuito de verificar em que nível que a motricidade encontra-se e posteriormente criar estratégias de união das demais áreas envolvidas no distúrbio, iniciando assim uma intervenção cognitiva voltada ao desenvolvimento da aprendizagem que cada disléxico apresenta. A avaliação e a mediação de forma multidisciplinar fomentam e proporcionam um convívio harmonioso no qual, conflitos, problemas e dificuldades, são tratados não adversamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário